Posts Tagged ‘ativismo’

Publicações do Rizoma.net em .pdf

23/08/2011

Olá pessoal,

Tudo bem? Agora está completo e disponível em PDF todo o acervo de textos do antigo site Rizoma.net, os textos foram organizados em e-books gratuitos de acordo com as seções do site: Afrofuturismo, Anarquitextura, Artefato, Câmera Olho, Conspirologia, Desbunde, E-spaço, Esquizofonia, Gibi, Hierografia, Intervenção, Lisergia Visual, Mutação, Neuropolítica, Ocultura, Panamérica, Potlach, Recombinação.

O download pode ser feito a partir desta página:
http://virgulaimagem.redezero.org/rizoma-net/

Faça download dos PDFs, leia e divulgue :-)

O Rizoma.net foi um importante site que abrigou rico acervo de artigos sobre ativismo, contra cultura e intervenção urbana. O site saiu do ar em 2009, mas o pessoal do CCR (Centro de Criação de Ruídos)  fez um grande esforço de editorar em PDF os textos das seções do site. O trabalho se completou recentemente com a ajuda de um voluntário que se identificou como Jesus. Todos os e-books estão disponibilizados para download gratuito. Aproveitem!
Abraços,
Marcelo
*direto da lista do Estudio Livre.

Maior jornal do Brasil processa blog independente e inaugura um novo tipo de censura

09/01/2011

por Desculpeanossafalha

Ação inédita na Justiça está sendo boicotada pela mídia brasileira, que é dominada por poucas famílias, e abre um precedente terrível para todos os blogueiros do país

A exemplo do que aconteceu na eleição do Obama e em outros pleitos na Europa, na recente disputa presidencial brasileira, que terminou com a eleição da candidata de Lula (Dilma Roussef), a internet teve peso inédito na campanha eleitoral. A atuação de centenas de blogs foi especialmente importante porque, em sua maioria, eles apoiaram a candidata de esquerda (Dilma) e, por outro lado, praticamente toda a mídia convencional (rádio, TVs, jornais e revistas) defendeu fortemente o candidato de oposição, José Serra, que formou uma poderosa coalização política-midiática-religiosa conservadora — que acabou derrotada. A importância da Internet ficou óbvia no último dia 24 de novembro, quando Lula concedeu a primeira entrevista de um presidente brasileiro exclusiva para blogueiros. Foi um claro reconhecimento à sua importância e ao contraponto que eles fizeram à mídia tradicional.

Em meio a esse cenário, surgiu em setembro um blog chamado Falha de S.Paulo, uma paródia ao maior jornal brasileiro, a Folha de S.Paulo. Em português, “Folha” é uma das formas de referir-se a um jornal. E “Falha” significa falha. Era um blog recheado de fotomontagens, brincadeiras e críticas ácidas ao noticiário da Folha. Eram críticas sempre bem-humoradas, porém duras. Para se ter uma ideia, uma das montagens de maior sucesso (e mais irônica) punha o rosto do dono do jornal, Otavio Frias Filho, no corpo de Darth Vader. Pois bem: após um mês no ar o jornal entrou na Justiça para censurar o blog. Pior: conseguiu. Ainda pior: além de conseguir cassar o endereço, a Folha abriu um processo de 88 páginas contra os criadores do site, pedindo indenização em dinheiro por danos morais.

O jornal alega “uso indevido de marca”, por causa da semelhança entre os nomes Folha e Falha e porque o logotipo do site era inspirado no do jornal. A paródia foi criada por dois irmãos (Lino e Mário Ito Bocchini) que não têm ligação com nenhum partido político ou qualquer outra entidade. São duas pessoas “avulsas”, o primeiro jornalista e o segundo, designer. E agora os irmãos estão tendo uma dificuldade brutal (e gastando bastante dinheiro) para se defender na Justiça de uma ação volumosa do maior jornal do país. E a previsão dos advogados e professores de direito ouvidos pela dupla é a de que a Folha deve ganhar a ação, mais por ser uma companhia grande e poderosa e menos pelo mérito da questão em si.

Aqui entra o motivo pelo qual os irmãos Bocchini resolveram levar a questão para além das fronteiras do país: no Brasil, menos de 10 famílias dominam os grandes meios de comunicação. E uma dessas famílias é justamente a Frias, que ficou incomodada com a Falha de S.Paulo e suas brincadeiras como a do Darth Vader. Por corporativismo, nunca um órgão de uma família noticia algo relacionado à outra. É uma espécie de tradição brasileira. A censura de um blog, ainda mais seguida de um pedido de indenização, é uma ação judicial inédita no Brasil. Por conta disso, os irmãos Bocchini estão sendo chamados a diversos eventos de comunicação, convidados a dar palestras etc. Estão recebendo muita solidariedade de blogueiros e ativistas por liberdade de expressão de todo país, e figuras públicas como o ex-ministro Gilberto Gil gravaram depoimentos condenando a censura e o processo da Folha. Mesmo assim jornais rádios, TVs e revistas seguem ignorando completamente o assunto.

A preocupação geral é que, se o jornal ganhar essa ação inédita (como tudo indica que vá acontecer), um recado claro estará dado às demais grandes corporações brasileiras, sejam de comunicação ou não: se alguém incomodar você na Internet, invente uma desculpa como essa do  “uso indevido de marca”. A Justiça irá tirar o site do ar e ainda lhe conseguir uma indenização em dinheiro. Ou seja, está nascendo um novo tipo de censura em nosso país, justamente pelas mãos de quem vive da liberdade de expressão. E não estamos conseguindo furar o bloqueio da mídia convencional, dominada pelas tais poucas famílias que já dissemos. Por isso só nos resta agora apelar para o exterior.

 


O novo site dos irmãos Bocchini, o www.desculpeanossafalha.com.br tem todos os detalhes da censura. Os posts são em português, mas lá você confere esse texto em inglês, francês ou espanhol. E pode escrever em qualquer uma dessas línguas para desculpeanossafalha@gmail.com

Censura no CMI!

27/12/2010

Temos muitas outras coisas boas para falar sobre o CMI neste editorial, mas resolvemos dedicá-lo a uma denúncia. O Centro de Mídia Independente vem sofrendo CENSURA. O caso é muito grave e importante pelos precedentes que abre, e precisa ser mais bem conhecido por todos, para gerar toda forma de apoio possível.

Resumidamente, provedoras de Internet estão bloqueando o acesso de seus clientes ao domínio midiaindependente.org. Mais especificamente: a Claro argumenta que uma sentença judicial está forçando-a a bloquear o acesso de seus usuários ao CMI. Suspeitamos que seja esta a mesma causa do bloqueio feito pela Net e pela Embratel ao CMI. Houve relato de bloqueio feito pela TIM, mas não tivemos mais informações sobre esta provedora.

Vamos expor todas as informações de que dispomos, então pedimos que leiam com atenção a descrição dos fatos sobre a CENSURA que o CMI vem sofrendo desde Abril deste ano. Organizamos tudo na forma de “perguntas e respostas” para facilitar. Clique no link abaixo, informe-se, divulgue e apóie nossa luta contra a censura!

Leia o texto completo aqui.

Deus, além de brasileiro e gostar de futebol, também é fanático por Blender

28/09/2010

Ontem foi uma daquelas noites mágicas que fazem a gente uma vez mais entender porque estamos nesta jornada. Acho que o dia que o Blender for o melhor programa do mercado eu paro de usá-lo. Eu não quero um programa 3D. Eu quero lidar com pessoas e suas imperfeições. Ambições, frustrações e sonhos. Um programa perfeito é um programa apático, uma maquina de Coca-Cola ®. Um programa vivo precisa de você, ele depende do fator humano para funcionar.

Eu tivesse pensando esses dias, na tentativa vã de entender porque eu gosto de bugs (te juro). Acho que um bug é uma forma do programa de te dizer que ele está ali, vivo, querendo saber mais de você. É uma forma de tentar te acordar da “Matrix” do mundo de consumo das galinhas que nascem nuggets e das vacas que nascem hamburgeres. Eu confesso que nunca fui a um matadouro. Mas já tive meus momentos de matar galinha (o que me rendeu valiosas lições de vida e histórias pra contar) e já olhei as entranhas de nosso querido programa de perto. De tão perto que assusta. E essa é a sua verdadeira
natureza. E é ela que revela o quão viva é sua estrutura, estrutura essa onde cada um de nós faz parte.

Para os se perguntando o que que leva alguém a acordar tão devagar e divagante, acho que isso são coisas que só a vida explica. Para quem acompanha de perto as novidades do mundo Blender sabe que ontem à noite foi a estréia de Sintel. Ano passado Eu tive a oportunidade de ver de perto o storyboard do filme e em Julho deste ano assisti a uma versão quase finalizada. Se por um lado isso estraga a surpresa da riqueza da história,
isso também enriquece a apreciação da obra completa. Pois bem, a premiere foi em Utrecht, e dificilmente alguém que não more na Holanda teria como visitar a cidade para assistir a 15 minutos de filme. Acontece que Deus, além de Brasileiro e gostar de futebol, também é fanático por Blender. Só é possível. Estou fazendo um projeto há mais de um ano, e calhou de a data do evento coincidir com a semana de Sintel. E há 45 minutos de distância de trem. Ainda acho que estou sonhando ;)

A estreia de Sintel foi (como vocês já devem ter imaginado) fantástica. O filme na telona realmente tocou à toda plateia. Depois dos 15 minutos de filme, todo mundo esperou calado, um silêncio quase embaraçoso, enquanto mais de 2.000 nomes rolavam na tela. Foi um dos momentos mais lindos, ali estava estampado todo mundo que pôde diretamente dar uma força para o filme. Mais emocionante que isso só o final do filme, que obviamente não vou revelar :) Depois do filme teve a festa. E essa então não sei nem se eu saberia como contar. Mais uma vez acho que mágica é uma das melhores
palavras para encaixar aqui. Esta perde apenas para minha outra palavra favorita, “humana”. Esqueça essa história de networking por um momento. Acho que já não gosto mais nem de usar “ecossistemas”. No final das contas as relações são tão pessoais que dificilmente são explicáveis por qualquer que seja a dita categorização.

Passada meia-noite, na eminência de virar abóbora, levei pra “casa” o copo da minha última cerveja. Eu já estava de saída, com receio de perder o último trem, quando o Ton fez questão de pegar duas cervejas pra gente. É o tipo de convite que não se recusa. A cerveja eu terminei de tomar no trem. O copo por sua vez, agora tem lugar cativo na minha coleção. Do lado dos DVDs autografados do Big Buck Bunny, Venom Labs e os outros (e meus valiosos crachás de BlenderPROs, CHEs, CONFs, …). Do lado de preciosas memórias e emoções. Lembranças estas que transbordam, numa singela manhã de terça-feira, num friozinho gostoso que nos lembra que estamos longe de casa.
Mas o bom filho a casa volta. E enquanto o corpo não embarca, dexe que essas
palavras o vento leve e a chuva lave.

Por Dalai Felinto – blenderbrasil-dev

Leia mais aqui.

Enviado por Fabs na Comunidade Estudio Livre.

Submidialogia Arraial d’ Ajuda – de 29 de abril a 05 de maio

16/03/2010

Submidialogia Arraial d’ Ajuda – Cobrindo o Brasil com sustentabilidade, nossas crianças e nações indígenas – de 29 de abril a 05 de maio.

O Submidialogia é um festival que acontece desde 2006 e sempre conta com a participação das redes e coletivos que praticam mídia tática, livre e independente do Brasil e do mundo.

Para esta edição gostaríamos de convida-lxs para debates, exposições, oficinas e outras atividades que envolvessem os temas: futuro sustentável para nós, nossas crianças e as nações indígenas.

Envie sua proposta para a lista: submidialogia@lists.riseup.net até 02 de abril de 2010 indicando: nome da pessoa responsável, apresentação e duração da atividade, sugestão de horário e material necessário para a realização da atividade.

Nos vemos no Arraial!

Ato Público contra o AI-5 Digital

13/05/2009

AI-5

Levem o cartão de crédito!

02/12/2008

ONG promove primeiro dia da liberdade de expressão online

12/03/2008

São Paulo – Organização realiza atividades para condenar a censura da internet pelo mundo. Lista de “inimigos online” foi atualizada.

A organização contra censura Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lança, nesta quarta-feira (12/03), o primeiro Dia de Liberdade de Expressão Online.

Nesta data, a partir de agora, serão organizadas anualmente atividades que condenarão a censura na internet pelo mundo.

A RSF lembra que atualmente há no mínimo 62 dissidentes online presos, enquanto 2.600 sites, blogs ou fóruns de discussão foram fechados ou se tornaram inacessíveis em 2007.

A lista “Inimigos da Internet” foi atualizada, com a inclusão da Etiópia e Zimbábue. A organização ainda oferece uma nova versão do documento Handbook for Bloggers and Cyber-Dissidents, que ensina como criar blogs e driblar a censura aos mesmos.

A RSF convidou os internautas para “demonstrações virtuais”, onde poderão criar um avatar, escolher uma mensagem para seu banner e protestar contra um dos nove países que censuram a web: Burma, China, Cuba, Egito, Eritrea, Coréia do Norte, Tunísia, Turcomenistão e Vietnã.

À véspera da data, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) retirou seu apoio ao evento, alegando que embora apoiasse o “princípio” do dia, não poderia dar suporte às manifestações organizadas para marcar a data.

Fonte: IDG Now!

Aproximações entre terrorismo poético e flash mobs

13/01/2008

Dançar bizarramente a noite inteira em caixas eletrônicos de bancos. Apresentações pirotécnicas não autorizadas. Land-art*, peças de argila que sugerem estranhos artefatos alienígenas espalhados em parques estaduais. Arrombe apartamentos, mas, em vez de roubar, deixe objetos Poético-terroristas. Seqüestre alguém e o faça feliz. Escolha alguém ao acaso e o convença de que é herdeiro de uma enorme, inútil e impressionante fortuna – digamos, cinco mil quilômetros quadrados na Antártica, um velho elefante de circo, um orfanato em Bombaim ou uma coleção de manuscritos de alquimia. Mais tarde, essa pessoa perceberá que por alguns momentos acreditou em algo extraordinário e talvez se sinta motivada a procurar um modo mais interessante de existência. Coloque placas de bronze comemorativas nos lugares (públicos ou privados) onde você teve uma revelação ou viveu uma experiência sexual particularmente inesquecível etc. Fique nu para simbolizar algo.

* Tipo de arte que usa a paisagem, normalmente natural, como objeto artístico, sendo a própria natureza (e seus fenômenos, chuva, vento, etc.) elementos constitutivos da obra.

Por Hakim Bey, o meu vizinho.