Capes descumpre Lei de Acesso e não disponibiliza detalhes do Qualis

26/01/2013

Com base na Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011), solicitei via serviço de informação ao cidadão (E-Sic) do governo federal a planilha da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), contendo os  itens de avaliação (QUALIS) de periódicos da área Interdisciplinar. Em três instâncias, foi-me negado o pedido. A alegação de CAPES, é que já um documento disponível no site da instituição. No entanto, há apenas umdocumento PDF  onde consta apenas a nota final atribuída ao periódico e não os itens que a constituíram, objeto da solicitação.

Texto completo aqui.


Desaparecida!

01/11/2012

Roberta Viviane Guimarães – prima de um amigo (não se preocupe, não é spam)

Ela desapareceu por volta do dia 21 de Outubro.

A Roberta é bem morena tem o cabelo preto e crespo e esta cortado na altura da orelha tem por volta de 1,60 de altura peso entre 45 – 50 kg.

Recebemos informações na semana passada que ela foi vista na região do bairro Santo Agostinho na Avenida Raja Gabaglia, próximo à Praça da Assembléia – Belo Horizonte.

Essa semana ela foi vista na região da Santa Casa (região hospitalar) na avenida Francisco Salles – Belo Horizonte.

Em ambas situações ela estava de calça jeans e blusa de frio preta.

Ela parece estar confusa mentalmente, segundo o cunhado dela ela estava passando por um processo de depressão pós parto.

Caso alguém consiga qualquer informacão, por favor, comunique no telefone 8807-63-74 (Yuri).

Agradecemos!

Imagem


Memória da casa de dentro e de fora – até 26 de outubro!

16/10/2012

_cartaz-virtual(1)


Proex avalia propostas da UFMG ao Fundo Nacional de Cultura

03/09/2012

O Ministério da Cultura (Minc) publicou edital que abre processo seletivo e prevê apoio a projetos por parte do Fundo Nacional de Cultura (FNC). As inscrições poderão ser feitas até 24 de setembro, e a Pró-reitoria de Extensão (Proex) receberá propostas originadas na UFMG até terça-feira, 18 de setembro, às 13h.

O intuito da iniciativa – que vai distribuir R$ 10,5 milhões – é fomentar e incentivar ações da cultura brasileira. Podem participar órgãos da administração pública direta e indireta nos estados, municípios e Distrito Federal, além de instituições privadas de natureza cultural sem fins lucrativos com, no mínimo, três anos de atividade comprovada, Cada participante poderá apresentar apenas um projeto por categoria.

As propostas elaboradas na UFMG devem ser encaminhadas à Coordenadoria de Apoio à Gestão de Extensão (CGE) pelo endereço cge@proex.ufmg.br. O telefone da CGE é o (31) 3409-4637.

Categorias
Os recursos serão divididos em cinco categorias:

Categoria 1: Projetos que fomentem ou desenvolvam atividades voltadas para o processo de criação, formação, promoção, difusão, produção, divulgação e circulação, fruição de bens, serviços e expressões artísticas e culturais brasileiras.

Categoria 2: Projetos que fortaleçam espaços, redes e circuitos culturais, considerando os seguintes eixos: cultura e diversidade; cultura e cidadania; comunicação e cidadania; gestão de redes; redes criativas e colaborativas; e redes de cooperação e sistemas locais de inovação.

Categoria 3: Projetos que visam implantar, ampliar, modernizar e recuperar espaços culturais de acesso público, por meio de construção, reforma, aquisição de equipamentos e material permanente.

Categoria 4: Projetos que visam preservar, identificar, proteger, valorizar e promover o patrimônio cultural brasileiro, fortalecendo identidades e criando condições para sua sustentabilidade.

Categoria 5: Projetos voltados ao fomento de atividades, difusão de conteúdos e estímulo à inovação audiovisual.

Fonte:  https://www.ufmg.br/online/arquivos/025216.shtml

 


Copa, Olimpíadas e eleições: qual é o legado para a sua cidade?

28/08/2012

Evento: Copa, Olimpíadas e eleições: qual é o legado para a sua cidade?
Local: Auditório do Campus Aimorés do Centro Universitário UNA – Rua Aimorés, 1451 – Lourdes (próximo da Praça da Liberdade)
Data: 31 de agosto de 2012 (sexta-feira)
Horário: 9h30 às 12h30


Abaixo-assinado MinC – Brasil

27/03/2012

Amigos(as),

Acabei de ler e assinar este abaixo-assinado online: «Abaixo-Assinado ao Minc»

http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N22382

Pessoalmente, concordo com este abaixo-assinado e acho que você também pode concordar.

Assine o abaixo-assinado e divulgue para seus contatos.

Obrigada.

 


IX Encontro Virtual de Documentação em Software Livre (EVIDOSOL) e VI Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia online (CILTEC-online)

06/03/2012

Prezados colegas,

Com o apoio da Faculdade de Letras da UFMG, de seu Centro de Extensão (CENEX) e do Kósmos (UFSM), o grupo Texto Livre convida a todos para o IX Encontro Virtual de Documentação em Software Livre (EVIDOSOL) e VI Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia online (CILTEC-online), a ocorrer de 04 a 06 de junho de 2012.

Além das conferências e mesas redondas já confirmadas, o evento selecionará propostas a serem apresentadas em IRC (chat) ou em Fóruns, cujas inscrições podem ser feitas de acordo com o calendário:

Submissão de propostas: de 05 de março a 20 de abril
Inscrição como ouvinte: até 04 de junho

As propostas, em português, espanhol, inglês ou italiano, deverão se adequar às seguintes trilhas ou linhas: Linguagem e Tecnologia, Produção Textual no Computador, Divulgação de Software Livre, Documentação em Software Livre, Hipertexto, Jornalismo na Internet, Blogs e Wikis, Ensino na Internet, Comunidades Virtuais, Inclusão Digital e Cultura Livre.

Inscrições tanto para submissão de propostas quanto para “ouvintes” podem ser feitas no mesmo sistema, pelo link “inscrições”. Pedimos que leiam atentamente as instruções para submissão de proposta, que sofreu mudanças em relação aos eventos anteriores. Maiores detalhes estão disponíveis no menu do site oficial do evento: http://gkosmos.com/evidosol/

Obs.: não é cobrada taxa de inscrição e todos os participantes terão direito a certificados.

Atenciosamente,
Organização do Evidosol/Ciltec-online
http://gkosmos.com/evidosol/
evidosol@gmail.com
———————————-

Estimados compañeros,

Con mucho gusto, el Grupo Texto Libre les invita a presentar propuestas para el IX Encuentro Virtual de Documentación en Software Libre (Evidosol) y el VI Congreso de Lenguaje y tecnología (Ciltec-online).

Las inscripciones estarán abiertas de 05 de marzo hasta el 20 de abril del 2012 para panelistas o asistentes que deseen recibir certificado. Los interesados en presentar trabajo pueden enviar sus resúmenes en portugués, inglés, español o italiano, de acuerdo con los siguientes temas: Hipertexto, Blogs y Wikis, Enseñanza e Internet; Cultura Libre, Divulgación de Software libre, Documentación en Software Libre, Lenguaje y Tecnología y Producción Textual en Computadora.

El objetivo del evento es ampliar el debate respecto al diálogo entre lenguaje y tecnología por medio de la presentación de investigaciones y relatos de experiencias. Por ser un evento virtual, supera la barrera de la distancia física, facilitando la participación de interesados.

El evento se dará virtualmente en canales de chat (IRC) y Foro, es gratuito.

Todos los participantes recibirán certificados.

Más informaciones e inscripciones en el sitio:http://gkosmos.com/evidosol/

Atentamente,
Grupo Texto Livre
———————–

Dear colleagues,

Grupo Texto Livre (“The Open Text Group”) invites all for submission of abstracts to the 9th Virtual Meeting of Documentation in Free Software ( “IX Encontro Virtual de Documentação em Software Livre” – Evidosol) and 6rd Congress of Language and Technology (“VI Congresso de Linguagem e Technologia” – Ciltec-online).

The deadline for abstract submissions by presenters or enrollment by attendees who would like to receive a certificate of participation is April 20, 2012. The abstracts can be sent by the presenters in Portuguese, English, Spanish or Italian and must cover the following topics: Hypertext, Blogs and Wikis, Education and Internet, Open Culture, Awareness of Open Software, Documentation in Open Software, Language and Technology, Computer-mediated Text, Virtual Communities and Journalism on the Internet.

The goal of the event is to extend the debate around the dialogue between language and technology by means of presentations of research studies, experiences and best practices. Since this is a virtual event, it surpasses geographical barriers, facilitating the participation of the interested parties.

The event will happen virtually in chat rooms (IRC) and Forum; it is free of charge.

All the participants will receive a certificate of participation.

More information about, and make your subscription in the site:
http://gkosmos.com/evidosol/

Gratefully,
Texto Livre Group
————————

Fonte: Lista Estudio Livre

 


XIII Seminário “O Lazer em Debate” no ar!

01/12/2011

Bem vindos ao XIII Seminário “O Lazer em debate” 

 

13 a 15 de junho de 2012

Esta edição é proposta pelo Centro de Estudos de Lazer e Recreação (CELAR) e pelo Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, ambos da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A inscrição de trabalhos segue até o dia 16 de março de 2012!


Ciclo de Estudos e Diálogos sobre o Lazer: Reflexão e formação no âmbito internacional

08/10/2011

Promoção: Mestrado Interdisciplinar em Lazer/UFMG

Apoio: PRPG/UFMG

 

 

Inscrições gratuitas através do e-mail lazeramerica@gmail.com

Vagas limitadas – outras informações no site: http://grupootium.wordpress.com

 

Local: Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

28/10/2011 (6ª feira)14:00

  • Conferência: Australian Leisure: From Antiquity to Modernity

 

Conferencista: Prof. Francis Lobo

Professor Doutor da School of Marketing Tourism and Leisure at Edith Cowan University, Austrália. Autor de livros e artigos, ministrou conferências sobre o lazer em mais de 40 países. É um dos Diretores da Organização Mundial do Lazer e, atualmente, é Presidente eleito da Academia Americana do Lazer (2010-2012). Contemplado em 2000 com o Frank Stewart Award (Austrália).

Obs: Haverá tradução simultânea. Local: Auditório da EEFFTO/UFMG.

 

28/10/2011 (6ª feira)15:30

  • Conferência: “Event Management: A Critique”

 

Conferencista: Prof. Chris Rojek

Professor Doutor de Sociologia e Cultura na Brunel University, Londres. Publicou muitos livros, destacando-se: Pop Music, Pop Culture (2011); The Labour of Leisure (2010); Leisure Theory (2005),  Leisure and Culture (2000), Decentring Leisure (1995) e Capitalism and Leisure Theory (1985).

Obs: Haverá tradução simultânea. Local: Auditório da EEFFTO/UFMG.

 

 

31/10/2011 (2ª feira)9:00

Mesa-Redonda: “Propostas formativas de Mestrado em Lazer /Tiempo Libre/Recreación na América Latina”

Local: Mini-auditório da EEFFTO/UFMG.

 

Expositores:

  • Costa Rica (UCR): Prof. Carlos Ballestero Umaña

Master en Gerontología, título obtenido en la Universidad de Costa Rica. Actualmente es el Sub Director de la Escuela de Educación Física y Deportes, coordina la Maestría Profesional en Recreación y forma parte de la Comisión de Posgrado en Ciencias del Movimiento Humano y la Recreación y de la Comisión de Acción Social de la Escuela.

 

  • Equador (ESPE): Profa. Carmita Quizhpe

Médica especializada em Medicina Esportiva, Mestre em Docência Universitária e PhD em Ciências Aplicadas a Atividade Física, Esporte e Recreação. Docente da ESPE/Equador e coordenadora do Mestrado em Recreação. Participou como conferencista e ministrou cursos de atualização em vários países, incluindo Equador, Estados Unidos, México, Cuba, Venezuela, Brasil, Peru e Espanha, entre outros.

 

  • Brasil (UFMG): Prof. Hélder Ferreira Isayama

Graduado em Educação Física (Univ. Júlio de Mesquita Filho), Mestre em Educação Física (UNICAMP) e Doutor em Educação Física (UNICAMP). Professor do Programa de Mestrado em Lazer da UFMG, Editor da Revista Licere, e Líder do Grupo de Pesquisa “Oricolé – Laboratório de Pesquisas sobre Formação e Atuação Profissional em Lazer”.

 

  • México (URMH): Profa. Isis Yolanda Aguilar Galván

Doutoranda em Lazer (Ocio) pela Universidad de Deusto em Bilbao (Espanha), tem desenvolvido estudos sobre recreação e orientação familiar. Coordenadora do Mestrado em Recreação e Administração do Tempo Livre, Diretora da Escola de Trabalho Social e Recreação. Membro da Academia de Tempo Livre, Fundadora e coordenadora da RECREARTE: agrupação da Universidade Regional Miguel Hidalgo/México, que promove programas de recreação comunitária e de voluntariado social.

 

  • México (UniYMCA): Profa. Marisela Olivares Sustersick

Licenciada em Administração do Tempo Livre pela Universidade YMCA e Mestre em Administração do Tempo Livre e Recreação pela Universidad Regional Miguel Hidalgo. Membro do Colegio de Turismo da Cidade do México. Atualmente é Coordenadora da Licenciatura em Administração do Tempo Livre e do Mestrado em Recreação da Universidade YMCA.

 

 

 

Para se inscrever gratuitamente nestas atividades, envie um e-mail para lazeramerica@gmail.com com os seguintes dados: Nome completo, CPF, CI, endereço, telefone e instituição.

 

VAGAS LIMITADAS !


Carta Aberta ao Desembargador Roney Oliveira

20/09/2011

Carta Aberta ao Desembargador Roney Oliveira

Belo Horizonte, 17 de setembro de 2011.

 

 

“Na aplicação da Lei, o Juiz atenderá aos fins
Sociais a que ela se dirige e às exigências
do bem comum.”(Art. 5o da Lei de Introdução
às Normas do Direito Brasileiro)

A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte…
A gente não quer só comida
A gente quer bebida
Diversão, balé
A gente não quer só comida
A gente quer a vida
Como a vida quer…

A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer dinheiro
E felicidade
A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer inteiro
E não pela metade…
(Comida – Titãs)

Caríssimo Senhor Desembargador:

Foi com imensa tristeza que soube de Vossa decisão de determinar o imediato retorno dos professores mineiros ao trabalho, ou seja, às salas de aula. Não posso negar, também, que fiquei surpreso ao ler o teor do texto que fundamenta/justifica a decisão de Vossa Senhoria.

Como cidadão, professor, e, como o Senhor, funcionário público remunerado pela população – inclusive a dos “grotões mineiros” em que, segundo vosso texto, fruto de vosso insuspeito conhecimento de causa, as crianças vão à escola “mais atraídos pelo pão do que pelo ensino” –, também considero importante que “na aplicação da Lei, o Juiz atenderá aos fins Sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum.” Mas, pergunto, Senhor Desembargador, estaria mesmo a vossa decisão colaborando para o bem comum?

No plano nacional, a nossa primeira Constituição, de 1824, já determinava que a educação elementar seria pública e gratuita. Em nosso passado recente, a Magna Constituição de 1988 garante esse mesmo direito e expande ao determinar a natureza pública e subjetiva do mesmo. O mesmo faz, como não poderia deixar de fazê-lo, o Estatuto da Criança e do Adolescente (1991) e a Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional (1996).

Veja, Senhor Desembargador, em Minas Gerais a primeira legislação para a instrução pública, a Lei no. 13, é do ano de 1835. Ou seja, foi uma das primeiras leis que nossos legisladores acharam por bem aprovar porque reconheciam, mesmo dentro de limites às vezes estritos, a importância da educação pública. De lá para cá, se contarmos, veremos centenas de atos legislativos que, como aquela Lei fundadora, vieram garantir o legítimo direitos dos cidadãos a uma educação pública, gratuita e de qualidade.

No entanto, poderíamos perguntar: estariam esses direitos sendo garantidos de fato? Sabemos que não, e não apenas para os dos “grotões mineiros”. E isto não apenas hoje. Ensina-nos a história da educação mineira que desde o século XIX tem-se muito claro que os professores
constituem elemento fundamental para a qualidade da escola. No entanto, desde lá também se sabe o quão difícil é garantir a entrada e permanência dos professores na profissão. Veja, Senhor Desembargador, o que dizia um Presidente da Província de Minas em 1871, isto é, há 140 anos: “À par da crêação das escolas normaes devem se augumentar os vencimentos dos professores. Não se pode esperar que procurem seguir carreira tão pouco retribuída aquelles, que, depois de instruídos nas escolas normaes, sejão convidados para outros empregos com esperança de um futuro lisongeiro”. [Antonio Luiz Affonso de Carvalho, Presidente da Província de Minas Gerais, em 02/03/1871]

Passados todos estes anos, e não são poucos, o que demonstram, hoje, a experiência dos professores mineiros e as mais diversas pesquisas acadêmicas é que em breve faltarão professores para a escola básica brasileira. Aliás, para algumas disciplinas essa falta já é sentida hoje. Mas não apenas isto. O mais grave é que, independentemente do número, verifica-se que a profissão perdeu, de vez, o poder de atrair/seduzir jovens talentos. Ou seja, a tarefa socialmente relevante e culturalmente fundamental de conduzir as novas gerações ao mundo adulto já não atrai parcela significativa (e necessária) de sujeitos dessa mesma sociedade. É como se os jovens estivessem dizendo: não vale a pena jogar o melhor das minhas energias nessa tarefa, apesar de sua relevância social e cultural.

Veja, pois, Senhor Desembargador, que o poder público mineiro vem lesando, há séculos, nossas crianças em seu mais que legítimo direito à educação. E, convenhamos, a considerar o atual salário dos professores mineiros, mesmo se comparado ao Vosso tempo de “vacas magras”, a atual administração estadual nada fez para atacar o problema. Muito pelo contrário, o agravou com a famigerada política de subsídio. Considere, pois, Senhor Desembargador, que as “queridas vacas”, como dizia a adorável professora do Drummond, estão tão magras que em breve delas não teremos nem o leite, nem a carne, nem o osso e nem mesmo o berro!

É louvável, Senhor Desembargador, a Vossa preocupação com a fome das crianças dos “grotões mineiros”, assim como com a garantia do direito à educação para a toda a população mineira e com os danos causados pela greve ao alunado. Por outro lado, não posso concordar que essa greve seja abusiva ou que precisaria se arrastar ad aeternum. Parece-me, aqui, que uma das formas de a Justiça contribuir
para garantir, na aplicação da Lei, os “fins Sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum”, seria obrigar Estado mineiro a cumprir, sem subterfúgio, a legislação existente e instruí-lo a reformar a péssima Carreira Docente em vigor. Esta contribui mais para a desmotivação do professorado do que lhe acena com os justos ganhos decorrentes da busca por mais e melhor formação e da comprovada
experiência adquirida no exercício da profissão.

Sabemos, Senhor Desembargador, que a justa decisão daquele que, mantido pelo poder público, tem o dever e a legitimidade para decidir, é, também, aquela que interpretando a Lei, de mãos dadas com a experiência passada, descortina, no presente, o futuro que pretende criar. A Justiça, Senhor Desembargador, se faz quando se tem em mente os problemas (futuros) que nossas soluções criarão ou deixarão de criar. A Justiça se faz, também, quando combate injustiças duradouras e possibilita a criação de condições de uma duradoura justiça! Se o direito à educação de qualidade não se faz apenas garantindo o acesso, este direito está, hoje como ontem, ameaçado, e sua garantia não se faz na sala de aula e no pátio da escola, mas nas ruas e nas praças ocupadas pelos professores em greve. Neste momento, a continuidade da greve como forma de obrigar a administração estadual a responder, de fato, à situação humilhante dos professores estaduais com melhores salários e condições de trabalho, é a única forma de garantir o direito à educação, em cuja defesa todos nos irmanamos.

As crianças que freqüentam a escola pública e as famílias que pagam impostos para que o Estado a garanta, Senhor Desembargador, “não querem só comida”. Querem tudo a que têm direito! Têm direito, inclusive, a professores felizes e satisfeitos com seus salários e suas condições de trabalho! Professor que foi, aluno que aprendeu com alguma professora nos bancos de uma escola, o Senhor Desembargador deve saber também que a única forma de fazer uma boa escola ou uma boa escola é que os professores tenham, eles também, os seus direitos reconhecidos e protegidos. Eles não querem “só comida”!

Finalmente, Senhor Desembargador, é preciso lembrar que, contrariamente o ditado popular, nem sempre onde há fumaça há fogo. E, às vezes, pode haver fogo sem haver fumaça. Para isto, bastaria ver a Praça da Liberdade na sexta feira. O “gás de pimenta” pode “ser fogo”, como disse, em mensagem eletrônica uma professora que lá estava: “Para quem nunca inalou gás de pimenta, a sensação é a seguinte: um fogo na cara, um ódio no coração e muita tosse”. Mesmo sem a cobertura da fumaça, foi lá que o Estado de Minas, por meio de seus agentes legalmente constituídos, nos deu uma péssima lição de cidadania. Penso, Senhor Desembargador, que o episódio da Praça da Liberdade, este sim, merecia uma rápida investigação e a punição exemplar daqueles que, atualizando o que há de pior em nossa história, violentaram não apenas os professores, mas todos nós, cidadãos deste país. Logo, imagino, também ao Senhor. Acalentando o sonho de que nossas crianças e jovens possam ter garantido o direito a uma escola de qualidade e que os professores mineiros tenham garantido o seu legítimo direito a lutar pelos seus direitos, envio cordiais saudações.

Luciano Mendes de Faria Filho
Professor de História da Educação da UFMG
Coordenador do Projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil – 1822/2022


Cultura em greve

27/08/2011

Os trabalhadores da Cultura querem prestar um melhor serviço à

sociedade. Nós somos os responsáveis pelos  teatros, bibliotecas,

museus e demais espaços culturais da União, pelo registro de direitos

autorais, pela aprovação de projetos culturais realizados com recursos

públicos,  pela preservação do patrimônio artístico e histórico nacional,

enfim,  pela elaboração e execução das políticas públicas  federais  de

Cultura.

 

O serviço prestado hoje à sociedade poderia ser muito melhor se o

pequeno quadro funcional fosse aumentado por meio de concursos

públicos e valorizado através de programas de qualificação. Para isso,

precisamos de mais verba federal para a Cultura.

 

O Governo destina apenas 0,06% de sua verba para a Cultura, enquanto

dedica quase 45% da arrecadação para a administração de juros e

amortizações da dívida interna e externa. A arrecadação federal

aumentou  21% no mês de julho. A Receita Federal arrecadou em um

único mês 90 bilhões de reais, batendo recorde histórico. Enquanto isso,

cerca de 40% dos servidores que ingressaram no Ministério da Cultura

nos últimos concursos públicos já deixaram seus cargos em razão dos

baixos salários, os mais baixos de todo o serviço público federal.

NÃO EXISTE POLÍTICA PÚBLICA DE QUALIDADE PARA A SOCIEDADE

SEM SERVIDOR PÚBLICO CAPACITADO

 

Por isso, os servidores da Cultura estão em greve nacional desde o dia

22 de agosto.

 

Mas por que a greve agora?

 

O Governo, por meio do PLP 549, ameaça os trabalhadores do  serviço

público federal de congelamento de salários por 10 anos. Em 10 anos, o

salário não terá mais o mesmo poder de compra e o custo de vida terá

aumentado. Só em 2010, a inflação superou o índice de 5 %. Para quem

se aposenta, a perda será ainda maior, pois grande parte do salário não

integra a aposentadoria.

Desde 2007, no segundo governo Lula, os trabalhadores da Cultura

esperam o cumprimento de acordo assinado entre o governo e a

categoria, que já estava há 10 anos sem reajuste. Entre os pontos

pendentes desse acordo está o incentivo à capacitação profissional, cujo

impacto financeiro é irrisório sobre as contas públicas.

 

QUEREMOS MAIS VERBA PARA A CULTURA, MELHORES SALÁRIOS,

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO FUNCIONAL E CONCURSOS PÚBLICOS JÁ!!!

Pois, se não existe arte sem artista, NÃO EXISTE POLÍTICA PÚBLICA SEM

SERVIDOR PÚBLICO.



Publicações do Rizoma.net em .pdf

23/08/2011

Olá pessoal,

Tudo bem? Agora está completo e disponível em PDF todo o acervo de textos do antigo site Rizoma.net, os textos foram organizados em e-books gratuitos de acordo com as seções do site: Afrofuturismo, Anarquitextura, Artefato, Câmera Olho, Conspirologia, Desbunde, E-spaço, Esquizofonia, Gibi, Hierografia, Intervenção, Lisergia Visual, Mutação, Neuropolítica, Ocultura, Panamérica, Potlach, Recombinação.

O download pode ser feito a partir desta página:
http://virgulaimagem.redezero.org/rizoma-net/

Faça download dos PDFs, leia e divulgue :-)

O Rizoma.net foi um importante site que abrigou rico acervo de artigos sobre ativismo, contra cultura e intervenção urbana. O site saiu do ar em 2009, mas o pessoal do CCR (Centro de Criação de Ruídos)  fez um grande esforço de editorar em PDF os textos das seções do site. O trabalho se completou recentemente com a ajuda de um voluntário que se identificou como Jesus. Todos os e-books estão disponibilizados para download gratuito. Aproveitem!
Abraços,
Marcelo
*direto da lista do Estudio Livre.

Debate aovivo na web: Criatividade, tecnologia e políticas públicas

23/08/2011
DEBATE IMPERDÍVEL 
NESTA 4a 24 de agosto 20H
NO AUDITÓRIO IBIRAPUERA
SÃO PAULO

GRÁTIS
SERÁ TRANSMITIDO PELA WEB

Criatividade Tecnologia 
Políticas Públicas

COM

GILBERTO GIL
LAWRENCE LESSIG
DANILO MIRANDA
SERGIO AMADEU
IVANA BENTES
RONALDO LEMOS
Deputada MANUELA D’ÁVILA
provocador: Claudio Prado

AS POLÍTICAS DIGITAIS NO MUNDO
CULTURA PEER TO PEER
MUNDO ÁRABE
PRAÇAS DA ESPANHA
ARRASTÕES NA INGLATERRA
CARETICE FRANCESA
CHINA VS USA?

O PAPEL DOS DIREITOS AUTORAIS NO SEC21
O PAPEL DO CREATIVE COMMONS

AS POLÍTICAS DIGITAIS NO GOVERNO DILMA

AI5 DIGITAL – LEI AZEREDO
MARCO CIVIL DA INTERNET
PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA
COMITÊ GESTOR DA INTERNET
EXISTE UMA CULTURA DIGITAL BRASILEIRA?
O MINISTRO HACKER AGORA É O MERCADANTE?
QUE SE PASSA NO MINC?
RETROCESSO?

POR FAVOR! DIVULGUEM
NAS LISTAS
FACEBOOK
TWITTER

PRECISAMOS BOMBAR ISSO!!

POLÊMICO – TENSO – INSTIGANTE – FUNDAMENTAL
IMPERDÍVEL

 


I Seminário Futebol das Gerais – GEFuT/UFMG

23/08/2011

É com prazer que anuncio o I Seminário Futebol das Gerais, de 11 a 13 de novembro, na EEFFTO/UFMG, promovido pelo GEFuT/UFMG com o apoio do Ministério do Esporte e CBCE. O evento traz grandes nomes de pesquisadores do país e se dedica à temática dos megaeventos esportivos e torcedores. Para conferir, acesse o site. Inscrições já abertas!


Sobre a decisão do juiz em relação ao assassinato do professor Kássio Vinícius Castro Gomes

29/07/2011
Sobre a decisão do juiz em relação ao assassinato do professor Kássio Vinícius Castro Gomes
Nesta última sexta-feira, 22/07, fomos surpreendidos com a notícia na imprensa sobre a decisão da justiça em relação ao assassino do professor Kássio Vinícius Castro Gomes, que o considerou inimputável, portanto, incapaz de ser responsabilizado pelo crime. O juiz, acatando o pedido da promotoria, absolveu o réu e determinou a sua internação por um período mínimo de 3 anos.
Mediante esta determinação da justiça gostaríamos de manifestar nossa tristeza e indignação em relação ao desfecho do caso.
Nós perdemos um filho, pai, esposo, irmão, amigo, um pesquisador apaixonado por sua profissão, exercendo-a sempre com ética e competência, acreditando no poder transformador de uma prática pedagógica.
Os filhos pequenos de Kássio foram privados da convivência com o pai porque outro pai e outra mãe foram omissos em relação à doença de seu filho. Como consta nos documentos do processo criminal, o estudante já apresentava histórico de agressão contra professores e seus próprios familiares. O jovem que poderia estar hoje passando por um tratamento adequado que possibilitasse ter um convívio social é condenado a cumprir medida de segurança em manicômio  judiciário.
O estudante universitário, matriculado no Instituto Metodista Izabela Hendrix, colocou em risco todas as pessoas que ali trabalhavam e estudavam.
O professor que por muitas vezes abdicou do convívio conosco em prol de seu compromisso profissional com a instituição de ensino e com seus alunos foi brutalmente assassinado. Assim queremos dizer da nossa tristeza pela grande perda que tivemos entendendo que é urgente uma discussão mais aprofundada sobre a violência e a impunidade. Só é possível construir uma cultura de paz se a sociedade civil se envolver neste debate, e é urgente que se faça, nós família Castro Gomes e Caixeta mesmo com a dor e saudade não furtamos do nosso dever de lutar por uma sociedade mais humana com paz para todos, lançamos um site sobre Kássio (www.professorkassiovinicius.com), que é um espaço de homenagem e de discussão sobre a violência.
Ainda assim fica o nosso desagravo a qualquer manifestação que possa desonar a imagem do professor Kássio(ou como seus alunos preferiam chama-lo: do mestre)principalmente quando essas palavras são usadas como justificativa da mente delirante do assassino.
Não nos furtaremos do nosso papel de cidadãos em exigir que a sentença seja cumprida, não nos contentaremos com qualquer subterfúgio que desvie o Estado da sua responsabilidade de manter o réu em um manicômio judiciário. Por acreditar na justiça e nas instituições aguardamos todos os tramites legais.
At. Família do professor Kássio Vinícius Castro Gomes.